El Rincón del Poeta


Eu uma justa ganancia rôta
Ronaldo Braga

desespero nos escombros da seca,sonho um nordeste sem medo.
Eu
guerreiro entre pantanos e cactos
e rochedos,
ainda,
pó, mandacarus, pedra e sal,
enfrentado  e fugido na morte.

Eu ganancia rota
circulando vida infame dos beijos adocicados nas tristezas.

Eu
que ferindo espinhos esparramados em noites de sertão
e vivendo em dias de alcool e fumo
acalento
deslumbrantes pensamentos assassinos.

Eu, lampião e  conselheiro
transtornados em teus beijos de vampiro
canto a morte em doce  melodias, 
numa breve canção da vida.

Pois mesmo entre velhas canções
permaneço uma  recordação  perdida.
E sem remédio eu sou  um outro de um outro eu
Calmamente sonambulo.


Nota: envíe sus poemas a culturalibrosyletras@gmail.com - revistalibrosyletras@gmail.com y pedimos el favor que estos no sean tan extensos; máximo 30 versos.

No hay comentarios.

Con tecnología de Blogger.